Curiosidade: 6 samples em músicas do Aerosmith

O processo de compor uma música é de certa forma turbulenta, há de se falar em ‘escrita de letras’ e a elaboração de melodias, não há um manual da forma correta de fazer tudo isso, tudo depende da inspiração, da qualidade do artista em questão e da persistência em acertar, como dizia Pablo Picasso “Que a inspiração chegue não depende de mim, a única coisa que posso fazer é garantir que ela me encontre trabalhando”.

Pois bem, na vida de um artista, seja de qualquer uma das 11 artes, sendo a música a primeira, ele [artista] necessita de um foco, algo inicial que lhe possa inspirar confiança e influenciar em suas obras. O Aerosmith surgiu em uma época de ouro para a música, muitos grupos já faziam sucesso com diferentes ritmos e isso ajudou muito para o processo de criação de diversas musicas da banda.
Sem querer entrar muito na história, vamos mostrar algumas influências dentro das musicas do Aerosmith em forma de Samples.

1.Sample. amostra, em inglês; refere-se a algum trecho ou fragmento obtido de algo maior, do qual fazia parte. É um termo genérico, usado nas mais diversas áreas, embora seja bastante conhecido para se referir, em música, a pequenos trechos sonoros recortados de obras ou gravações pontuais para posterior reutilização noutra obra musical, não necessariamente no mesmo contexto do original.
2.Sampling. o ato de produzir e coletar amostras; amostrar. As primeiras experiências com amostras pré-gravadas de áudio remontam o meio do século XX, sobretudo nas experiências com gravações em fita magnética da música erudita de vanguarda, música concreta (musique concrète) e música eletrônica. O termo foi aportuguesado para “samplear”
3.Sampler. em música, é um software ou um hardware dedicado, feito para armazenar amostras de áudio (samples) de arquivos em diversos formatos, de origem digital (WAV, Flac, MP3 etc.) ou analógica (LP, fita magnética), que são alocados em uma memória usualmente digital, com a finalidade de poder serem reproduzidas e/ou reprocessadas posteriormente, uma a uma ou de forma conjunta, montadas em função de forma e tempo musical, soando como uma reprodução solo ou mesmo equivalendo a uma banda completa.

6 – Cryin’ (Get a Grip, 1993)

A multipremiada Cryin’, que vendeu mais de 600.000 mil cópias até onde se sabe, conta com diversos instrumentos de apoio em sua versão de estúdio, mas claramente é uma reprodução de Cânone em Ré Maior do instrumentista e compositor alemão Johann Pachelbel.

Ouça primeiro Cryin’ (0:13 ou 1:34):

Agora ouça Cânone em Ré Maior de Johann Pachelbel:

5 – The Other Side (Pump, 1989)

Assim com a anterior, The Other Side é muito parecida com a musica Standing in the Shadows of Love do quarteto americano Four Tops.

Ouça primeiro The Other Side (Música toda com ênfase em 1:06):

Agora ouça Standing in the Shadows of Love de Four Tops:

4 – Legendary Child (Music From Another Dimension!, 2012)

Não precisa ir muito longe, aqui em 2012 já vemos o Riff da música The Wanton Song do Led Zeppelin.

Ouça primeiro Legendary Child (0:23 e seguintes):

Ouça agora a The Wanton Song do Led Zeppelin:

3 – Hangman Jury (Permanent Vacation, 1987)

“Me and my old lady sittin’ in the shade/ Talkin’ about the money that I ain’t made/ Singin’ o boy dontcha line the Track a lack a/O boy dontcha line the track/ O boy dontcha line the track a lack a/ O boy dontcha line the track
Steven Tyler, Joe Perry e Jim Vallance escreveram essa música porém o trecho grifado já vinha sido utilizado em diversas musicas populares e apareceu pela primeira vez na musica Can’t You Line ‘Em do cantor de folk e blues Huddie William Ledbetter, sem data precisa da música mas o cantor nasceu em 1888 e morreu em 1949, bem antes de Permanent vacation.

Ouça primeiro Hangman Jury (0:54):

Agora ouça atentamente ao inicio de Can’t You Line ‘Em:

2 – Let the Music Do the Talking (Done With Mirrors, 1985)
I got one for the Money/ Two for the show/ Three for my honey/ And four to let you know that I/ Let The Music Do The Talking

Mais uma da “série letras”, dessa vez o trecho faz referencia a uma das primeiras musicas do rockabilly, trata-se de Blue Suede Shoes de Carl Perkins, que trás elementos do Blues, country, pop e lembra o estilo Elvis Presley, algo que o Steven anda atuando hoje em dias conforme as noticias. Os discípulos de Johnny Cash usaram bem essa vertente e pode-se perceber muito bem em Let the Music Do the Talking

Ouça primeiro Let the Music Do the Talking (1:06):

E agora ouça esse clássico de Carl Perkins

1 – Amazing (Get a Grip, 1993)

Por ultimo, ou primeiro, dependendo do referencial, mas não menos importante: Amazing! Nesta não há muito o que falar, simplesmente pegaram um trecho da musica Who Threw the Whiskey in the Well do grupo Lucky Millinder & His Orchestra’s part. Wynonie Harris e colocaram ao final (meio) de Amazing, confira.

Ouça primeiro Amazing (6:28):

Agora ouça Who Threw the Whiskey in the Well:

Quantas dessas você conhecia AeroFriend? Responda nos comentários, não vale mentir Blue Army!

Comentários

comentário(s)

Marcos Brazão
Acadêmico de Direito; Guitarrista nas horas vagas; Amante de tecnologia, futebol, Direito e Aerosmith, lógico! Twitter/Instagram/Facebook: mabsf
Recommended Posts
Entre em contato conosco

Entre em contato conosco e responderemos o mais breve possível.

Not readable? Change text. captcha txt