10 razões para ir aos shows do Aerosmith no Brasil

Agora não é mais novidade: o Aerosmith vem mesmo ao Brasil. Os shows estão marcados para 11, 15 e 21 de outubro em Porto Alegre, São Paulo e Recife, respectivamente. O Rock Your Wings, que trouxe todas as informações em primeira mão desde os primeiros rumores, no ano passado, quer que toda a Blue Army brasileira se encontre nos shows deste ano.

Por esses e outros motivos, separamos aqui 10 razões para ir às apresentações dos Bad Boys from Boston em nosso país neste ano. Se você está em dúvida e não comprou seu ingresso ou tem um amigo que ainda está com um pé atrás, apenas veja o porquê de você não poder perder esta chance única:

 

10. São memórias para a vida toda

Todo show, por si só, cria memórias únicas e singulares que ficarão em um lugar especial de sua mente. A adrenalina ao ver as luzes apagarem-se, o arrepio ao ouvir os primeiros acordes, a loucura ao ver o artista entrando no palco. Todos esses momentos ficam marcados e por uma razão muito especial: nunca mais acontecerá a mesma coisa, da mesma forma. Com o Aerosmith, todas essas sensações são multiplicadas por 100. Steven, Joe, Joey, Tom e Brad têm personalidades totalmente diferentes mas que, ao mesmo tempo, se entrelaçam no palco com uma química inimaginável. Isso cria uma expectativa que é correspondida logo nos primeiros minutos do show. E é assim que você vai lembrar daquele dia especial. E é assim que você irá descrevê-lo aos seus filhos e netos, no futuro.

 

09. Novas amizades serão feitas

2013 foi o ano em que o Aerosmith mais fez shows no Brasil, com passagens por Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. A legião de fãs que seguiu os Bad Boys from Boston de cima a baixo pelo país criou laços de amizade incríveis. O próprio Rock Your Wings, para se ter uma ideia, não existiria não fosse por 2013 e a Global Warming Tour. Mas este é apenas o exemplo mais próximo que temos. 2011, 2010, 2007 e até mesmo 1994 também viram pessoas conhecendo-se e juntando-se por causa de um nome em comum: Aerosmith. Esta banda tem o poder de aproximar pessoas e de criar relações mais fortes do que as que já existiam. E, sem dúvida alguma, é exatamente isso que vai acontecer em 2016: novas amizades irão nascer e muitas irão ser fortalecidas. O ponto de encontro? As filas, as arenas e os palcos.

 

08. Serão 3 shows espalhados pelo país

Não tem mais desculpas para não ir aos shows dos Bad Boys from Boston. Não será apenas um show. Não serão dois. Serão três! E o melhor é que serão em capitais que abrangem todo o país: uma no nordeste, uma no sudeste e outra no sul. Assim fica mais fácil para que pessoas de outros lugares do Brasil se desloquem até o local da apresentação, diferentemente de 2013, quando tudo ficou concentrado em três estados que fazem fronteira uns com os outros (exceto por Brasília). Nunca antes o Aerosmith fez shows dessa forma em nosso país.

 

07. Todos os 5 integrantes originais estarão presentes

Como dissemos anteriormente, Steven Tyler, Joe Perry, Tom Hamilton, Brad Whitford e Joey Kramer têm personalidades extremamente diferentes. É por isso que as brigas na banda parecem nunca acabar. Mas uma coisa é certa: quando esses 5 sobem ao palco, nada mais consegue pará-los. Desde os anos 70, eles dirigiram na estrada do rock como nenhuma outra banda. 46 anos depois, ainda estão correndo em velocidade máxima. E de todos os restantes lendários grupos da música, apenas os Rolling Stones também podem dizer que têm os membros originais em seu line up, justamente a banda que influenciou ao extremo o Aerosmith. Além disso, a volta de Tom Hamilton ao Brasil tem um sabor especial: o baixista não estava com os seus colegas de palco em 2013 porque ficou doente antes da turnê chegar em nossas terras.

 

06. Você vai ver uma das maiores bandas da história

Como dissemos na posição anterior, o Aerosmith é uma das últimas bandas lendárias ainda existente com todos os integrantes originais no line up. Fora eles, apenas os Stones estão na ativa. Led Zeppelin, Beatles e Queen: todos se foram. Quando esses caras, que já estão chegando na casa dos 70 anos de idade, vêm ao Brasil, não se pode perder a oportunidade de vê-los. Eles lideraram o caminho de todos os artistas da música que vieram em seguida. Sem eles, a música não poderia chegar onde chegou – e não falamos apenas do rock n’ roll ou de algum outro gênero específico. Estamos falando de toda a indústria.

 

05. Eles fazem as melhores apresentações ao vivo

Vamos voltar a falar sobre como existe uma diferença na personalidade dos 5 integrantes da banda e como, por essa razão, eles conseguem realizar um dos melhores shows do mundo. O Aerosmith não usa fogos de artifício desnecessários, um palco cheio de estruturas complicadas ou dançarinos(as) que não acrescentam à performance do grupo. Usa apenas um grande telão no meio do palco e dois nas laterais, dezenas de amplificadores na parte de trás e uma passarela em forma de “T” para chegar mais perto da maior quantidade de público possível. Simples, mas quando os cinco gigantes finalmente aparecem, toda a arrumação de outros shows ficam no chinelo! Steven, que pula de canto a canto por duas horas, sem parar, vem acompanhado da lenda Perry. Joey, o ponto de partida, quebra tudo na bateria enquanto Tom e Brad se alinham para levantar e dar base a todo e qualquer som que possa sair daqueles instrumentos. Juntando com um dos melhores jogos de luzes do planeta (que é melhor visto de longe), a fumaça que dá um ar de mistério e com o mais recente piano na pontinha da passarela, qualquer apresentação dos Bad Boys torna-se um dos melhores eventos da história.

 

04. Eles amam o Brasil

Não é novidade para ninguém que os fãs de toda a América do Sul são os mais elogiados pelos artistas musicais que já passaram por aqui. O Brasil, em especial, é a casa dos fãs mais dedicados e malucos, os quais estão dispostos a fazer as maiores loucuras possíveis apenas para ver os seus ídolos. A Blue Army brasileira pode se orgulhar: temos um lugar reservado no coração do Aerosmith. Steven já disse isso em entrevistas. Todo esse amor foi retribuído em 2013, quando o Brasil foi o único país em que Tyler, Perry, Hamilton, Kramer e Whitford estenderam todos os shows (com exceção de São Paulo) em um segundo bis, apenas para dar um gostinho a mais da maior banda da história da América a quem pagou para vê-los. Rolou em Curitiba, no Rio de Janeiro e em Brasília. Só não aconteceu em São Paulo porque o festival Monsters of Rock tinha horário para acabar e eles já haviam estourado o tempo. Quando eles vierem para cá este ano, não tenha dúvidas: darão o melhor de si aos brasileiros.

 

03. Nunca se sabe o que pode acontecer

Dissemos na posição anterior que a banda estendeu quase todos os shows do Brasil, em 2013, em um segundo bis. E é esse tipo de coisa que podemos esperar do Aerosmith: surpresa atrás de surpresa! Nunca se sabe qual música rara eles poderão tocar ou quais frases icônicas Steven Tyler vai soltar. Em 2011, atenderam aos pedidos de centenas de pessoas que levantaram plaquinhas pedindo Angel (Permanent Vacation, 1987), que não era tocada desde 2005. Em 2010, jogaram no setlist Lord of the Thighs (Get Your Wings, 1974) e Kings and Queens (Draw the Line, 1977), músicas que até hoje continuam sendo subestimadas e que foram tocadas em pouquíssimas ocasiões. Outra coisa é a interação constante com os fãs: segurando a bandeira gigante do Brasil com o logo da banda em 2010, pegando a boneca inflável e brincando com quem a levou em 2011 ou colocando na cabeça o chapéu de palha em 2013. Um show do Aerosmith é uma caixinha de surpresas.

 

02. Você vai poder ouvir alguns dos maiores hinos da música

Essa banda que tanto amamos criou hits que estarão para sempre marcados na história. Ir a um show do Aerosmith é ter a certeza de que vai se ouvir Love in an Elevator (Pump, 1989), Livin’ on the Edge e Cryin’ (Get a Grip, 1993), Sweet Emotion e Walk This Way (Toys in the Attic, 1975), I Don’t Want to Miss a Thing (Armageddon: the Album, 1998) e Dream On (Aerosmith, 1973). Essas músicas, que fizeram história e marcaram época, nunca ficam velhas. Incorporadas ao setlist com surpresas especiais para os fãs mais fervorosos, como músicas pouco tocadas, e outros sucessos dos anos 70, 80, 90 e 2000, ir a um show do Aerosmith é ter a certeza de que o dinheiro investido valeu a pena.

 

01. Esta é, provavelmente, a última passagem do Aerosmith pelo Brasil

A parte mais triste de toda essa história é que, muito provavelmente, os Bad Boys from Boston não irão retornar ao Brasil como um grupo, no futuro. Steven Tyler e Brad Whitford já disseram em inúmeras entrevistas que, em 2017, o Aerosmith entrará em uma turnê de despedida pela América do Norte. Joe Perry e Tom Hamilton dizem que não há nada confirmado até o momento, mas o que sabemos é que esses planos já estão bem encaminhados. Sendo assim, 2016 seria a última passagem da maior banda da história da América pelo nosso país. É agora ou nunca para quem nunca foi a um show deles, e é o possível adeus para quem já os viu nos muitos shows que aconteceram em nossas terras. É a última oportunidade de poder dizer “eu vi o Aerosmith ao vivo”. Algo que nunca mais retornará.

E você? Vai a algum show do Aerosmith este ano? Se sim, qual? Se não, o que está esperando para comprar o seu ingresso? Ainda há alguns para São Paulo e Recife. Para Porto Alegre estão todos esgotados. Não perca a chance de ver uma das maiores bandas da história fazer o que fazem de melhor! Nos vemos em outubro!

Comentários

comentário(s)

Igor Lino
Jornalista, já foi estagiário da revista Exame PME, na Editora Abril, e atualmente é colaborador do site Salada de Cinema. Apaixonado por WWE e, claro, Aerosmith.
Recommended Posts
Entre em contato conosco

Entre em contato conosco e responderemos o mais breve possível.

Not readable? Change text. captcha txt