Let the Fans Do the Talking #3 – Acompanhando até mesmo fora do país

A Blue Army brasileira não se contenta em acompanhar o Aerosmith apenas no Brasil. Como os Bad Boys from Boston passam a maior parte de suas vidas nos Estados Unidos, muitos da fanbase já viajaram para lá, acompanhando os shows inesquecíveis que eles fazem até mesmo fora do nosso país. É exatamente isso que a estudante de veterinária Mariana Fortes, de 20 anos, fez. Não uma, mas duas vezes.
Mariana conheceu todos os membros da banda correndo atrás deles nos hotéis, nos Meet and Greets dos EUA e até mesmo nas ruas de Boston, por onde andava casualmente. São histórias de invejar, não é mesmo? Saiba mais sobre as loucuras dessa jovem fã a seguir:

Bom, eu não sou fã das antigas do Aerosmith, minha ligação com a música deles começou em 2010. Tinha 14 anos quando recebi um telefonema do meu pai, me lembro de cada palavra desse momento porque a partir daí minha vida mudou. Meu pai falou: “Estou comprando ingressos para ver o Aerosmith, você quer ir comigo?”. Mas que diabos seria Aerosmith? Eu respondi: “Não sei, será que eles são bons?”. Eu acabei indo no show e sim, eles eram bons. O show começou com Eat the Rich e em cada batida do Kramer meu coração parecia sair pela boca. Era algo que nunca tinha visto ou sentido. Conseguia sentir uma energia inexplicável vendo aqueles cinco caras juntos no palco. Quando o show acabou eu só conseguia pensar em uma coisa: “Quando vou vê-los de novo?”
A partir desse dia memorável em que vi o Aerosmith no Palestra Itália eu comecei a pesquisar sobre a banda. Afinal de onde eles vinham? Como e quando se conheceram? Essas foram algumas das perguntas que me surgiram. Passava horas e mais horas em frente ao computador descobrindo detalhes sobre a carreira deles. Assistia e lia entrevistas, livros e notícias. Já dá para imaginar que o amor pelo Aerosmith só foi crescendo.
Em 2011 quando o Aerosmith confirmou que voltaria para o Brasil não conseguia acreditar que veria de novo aquele espetáculo. Eles eram diferentes de tudo, não existia e não existe nada que possa substituir o Aerosmith. Me planejei para que pudesse conhecê-los. Um dia antes do show rodei a cidade em um táxi, sem destino certo. Eu queria achar o Aerosmith. Eu queria poder ficar perto deles, sentir aquela energia inexplicável. Eu acabei encontrando o hotel onde estavam hospedados. Acho que um dos melhores momentos da minha vida foi quando eu desci do táxi, já de noite, e olhei para aquele monte de fãs na porta do hotel dividindo um sentimento maravilhoso. Naquela noite conheci o Joe Perry. Acho que não teria uma palavra para expressar a felicidade daquele momento.
No dia seguinte era o dia do show. Estava aguardando aquele dia por mais de um ano. Assisti o show na grade e vivi momentos inesquecíveis. Até aí só tinha conhecido o Joe. Então, no dia seguinte do show, sabia que era minha última oportunidade de conhecer os outros integrantes. Foi aí que encontrei Joey Kramer e Steven Tyler, que desceram para se despedir dos fãs no hotel antes de irem embora. Não preciso nem falar de como me senti, afinal cada momento correndo atrás dessa banda tornam-se especiais e sempre constroem histórias novas para contar. O que estou falando aqui é algo muito superficial se comparado com o que sinto por cada um deles.
ltfddt3Até aí quem não é fã e lê isso pode até pensar que eu ia me dar por satisfeita ou simplesmente enjoar deles. Mas quem é fã de verdade sabe que as coisas não funcionam assim. Muito pelo contrário, nós queremos cada vez mais. Pois bem, em 2012 iria viajar para algum lugar, e por que não unir o útil ao agradável e viajar para ver o Aerosmith? Eles iriam sair em turnê pela América do Norte e eu resolvi escolher a cidade de Boston. Sim, foi perfeito ver os Bad Boys from Boston tocando onde tudo começou. Assisti dois shows lá, e em um deles tive a oportunidade de fazer um Meet and Greet com o Joe e o Steven. Também consegui encontrar o Joey Kramer na cidade mais de uma vez. Ele simplesmente passou do meu lado na rua.
Eu não tenho nada para reclamar do Aerosmith. Só tenho o que agradecer, primeiro pelo trabalho deles, feito com tanto amor e  pelo carisma que eles têm com seus fãs. Nenhum deles me desapontou uma única vez.
Em 2013 o Aerosmith confirmou praticamente uma mini turnê no Brasil. Quatro cidades receberam nossa querida banda. Com certeza foi um ano muito especial para todos os fãs. Eu acompanhei eles em 3 das 4 cidades. No Rio de Janeiro cheguei cedinho na fila. Me lembro que era a fã de número 12 na fila. Consegui um bom lugar no show. Além disso encontrei mais uma vez o Steven e o Joey. Todos esses momentos foram maravilhosos. Apesar do sol e de outros apesares tudo valeu a pena. Em SP, além do Steven e do Joey, tive a oportunidade de encontrar o Brad. Agora só faltava conhecer o Tom, mas nessa turnê ele não estava presente. Em Brasília também cheguei cedinho e, dessa vez, fui a primeira da fila. A sensação de olhar para o estádio e não ver ninguém foi, ao mesmo tempo, de satisfação e de desespero. Afinal, quem já ficou o dia inteiro em fila de show sabe que não é fácil. E saber que ainda tinha o dia inteiro pela frente não era animador. Nesse dia as horas passaram lentamente. Mas quando o portão abriu eu corri tanto, mas tanto, que sentia gosto de sangue na minha garganta. E, no final das contas, todo sacrifício valeu pena.
Nessa jornada conheci um bocado de gente bacana. Gente que divide esse mesmo amor doido por essa banda. Gente que sabe o que é ser fã de Aerosmith.
Minha última jornada, até agora, foi na turnê de 2014, Let Rock Rule, onde fui em 3 shows, totalizando 10 shows! Sim, até aí 4 anos de fã e 10 shows! Vi eles em Denver, Houston e Dallas. Foi nessa turnê que consegui, finalmente, conhecer o Tom. E foi sensacional. Talvez tenha sido um dos meus momentos preferidos com a banda. Ele simplesmente é uma pessoa muito simpática e educada. Também tive a oportunidade de rever os outros integrantes.
Acho que até agora é isso. Mas só até agora, porque já temos compromisso marcado com os Bad Boys em outubro. Vamos torcer para que essa passagem pelo Brasil seja memorável tanto para nós, fãs, quanto para eles. Afinal de contas, os shows que mais gostei foram aqui no Brasil. Nós sabemos como aproveitar, e eles sabem disso. Portanto, vamos deixar bem claro em outubro o quanto amamos essa banda querida e o quanto queremos que ela continue assim, unida.

– Mariana Fortes

Obrigado, Mariana, pela participação! E você? Tem alguma história maluca relacionada ao Aerosmith para contar? Envie um e-mail para contato@rockyourwings.com.br e informe sua vontade de participar do quadro! Até o próximo Let the Fans Do the Talking!

Comentários

comentário(s)

Igor Lino
Jornalista, já trabalhou na revista Exame PME, da Editora Abril, e atualmente está no Google. Apaixonado por música, livros e filmes.
Recommended Posts
Entre em contato conosco

Entre em contato conosco e responderemos o mais breve possível.

Not readable? Change text. captcha txt