10 músicas que o Aerosmith deveria tocar no Brasil em 2017

Há quase dois anos, lançamos aqui no Rock Your Wings uma lista com as 10 músicas que o Aerosmith deveria tocar no Brasil em 2016. Surpreendentemente, algumas de nossas reivindicações (Rats in the Cellar, Home Tonight, Crazy e Kings and Queens) foram, de fato, atendidas! Isso sem falar em outras raridades, como Chip Away the Stone e Monkey on My Back, que também marcaram presença nos shows.
Pois bem, a Rock N’ Roll Rumble Tour chegou e passou bem rápido e, agora, nos aproximamos da Aero-Vederci Baby! Tour, a turnê “de despedida” do grupo. Quais são as canções que poderiam entrar no setlist e que deixariam qualquer membro da Blue Army com um sorriso no rosto? Bem, vamos deixar aqui 10 títulos que não são impossíveis de aparecerem em pelo menos uma das quatro apresentações em território brasileiro – basta um pequeno esforço dos Bad Boys from Boston.

10. Remember (Walking in the Sand) (Night in the Ruts, 1979)

Shadow Morton

Essa é a primeira de várias canções que têm uma justificativa mais do que plausível para estar nessa lista: foi tocada em shows da primeira parte da Aero-Vederci Baby!, na Europa. Steven, Joe, Joey, Brad e Tom surpreenderam toda a fanbase da banda ao tocar essa raridade que, pasmem, havia sido apresentada por inteiro apenas 9 vezes na história. Esse cover das The Shangri-Las é perfeito na voz de Steven e toda a banda pareceu empolgada ao tocá-lo. O mais importante, no entanto, foi a reação dos grandes fãs do Aerosmith: ficamos todos de boca aberta. Era algo que não acontecia há mais de 17 anos. Sortudos os fãs que foram nos 3 shows em que Remember foi tocada. Nada muito difícil: é só dar uma ensaiadinha novamente e botar ela no setlist dos shows brasileiros!

 

09. Legendary Child (Music from Another Dimension!, 2012)

Steven Tyler, Joe Perry, Jim Vallance

Não custa nada dar uma breve olhada para o último trabalho de estúdio da banda, não é? Apesar de ser um álbum com muito preenchimento desnecessário, o Music from Another Dimension! tem canções muito boas, dignas de serem singles reconhecidos. Legendary Child foi o primeiro single do MFAD! e, apesar de ter sido apresentada ao vivo no American Idol e em toda a primeira parte da turnê de divulgação do disco, foram apenas 27 performances ao todo. Mesmo com o álbum decepcionando nas vendas, o quinteto deveria levar em conta que Legendary é sim uma ótima canção e que, entre as outras do mesmo lançamento, ela foi a que melhor performou nas paradas (chegando ao top 30 da Billboard Rock Tracks e ao primeiro lugar da Hot Mainstream Rock Tracks). Além disso, ela não é muito complexa: eles já conhecem o riff de cor, já que a música surgiu de uma demo do Get a Grip, de 1993, que foi retrabalhada mais tarde, entre 2005 e 2006. Tudo isso sem falar no sample ”escondido” do Led Zeppelin ali no meio (já notou?).

 

08. Lightning Strikes (Rock in a Hard Place, 1982)

Steven Tyler, Jimmy Crespo, Richard Supa

Uma coisa que os fãs do Aerosmith nunca vão entender é toda a expectativa que a banda coloca nos setlists de seus shows antes de uma turnê só para, quando o giro realmente começar, tocar as mesmas coisas de sempre. Apesar de o setlist estar melhorando em 200% desde 2015 (eles andam incluindo clássicos e raridades totalmente esquecidos que dão um up e que fazem brilhar os olhos), o quinteto continua postando teasers de seus ensaios pré-turnês em suas redes sociais, mas nunca tocam, de fato, o que estão ensaiando. Foi o que aconteceu este ano, quando o grupo ensaiou Lightning Strikes, do esquecido Rock in a Hard Place, e deixou a Blue Army inteira esperando pela canção durante os shows. Já que estão ensaiando o clássico, por que não tocá-lo em terras tupiniquins? Seria um fato histórico, já que eles não fazem uma performance desse título há mais de 27 anos (a última sendo em 1990).

 

07. Beyond Beautiful (Just Push Play, 2001)

Steven Tyler, Joe Perry, Marti Frederiksen

Outra que é ensaiada e nunca tocada. Beyond Beautiful é considerada por muitos a melhor música do Just Push Play, álbum que foi muito bem com a crítica mas que, não raramente, é rejeitado pela parte mais hardcore da fanbase por ter um som mais pop do que qualquer outro trabalho que o Aerosmith já fez. Com todas as guitarras, letras e composição desse clássico, este é o ponto do disco que remete aos anos 70. E, de fato, é uma das melhores criações da banda nos anos 2000, te capturando logo de cara com o som indecifrável em seu início. Imagina só ela sendo tocada ao vivo para os milhares de fãs brasileiros? Uma pena que quase o JPP inteiro foi deixado no fundo do baú – apenas Jaded reaparece vez ou outra. A última vez em que tocaram a canção foi em 2013 porque, como esclarecido no artigo de 2015, Nobu pagou para ouvi-la. Antes disso, a última apresentação havia sido em 2002. Até o momento, apenas 81 performances dela foram feitas.

 

06. Falling in Love (Is So Hard on the Knees) (Nine Lives, 1997)

Steven Tyler, Joe Perry, Glen Ballard

Essa é mais uma das que marcaram presença em vários setlists da última turnê pela Europa. Falling in Love não é, exatamente, uma raridade, mas também não é uma canção que sempre é tocada. Antes das 6 performances desse ano, ela havia sido apresentada pela última vez em 2012. Um espaço de tempo bem grande, não é? E, assim como Remember, se ela foi tocada na primeira parte da tour, por que não fazer o mesmo por aqui? Afinal de contas, é um single bem sucedido do Nine Lives que todo mundo conhece e adora – até mesmo aqueles fãs casuais, que não seguem a banda em tudo o que fazem e que ainda desconhecem grande parte de sua extensa discografia. Seria uma reação incrível!

 

05. Nine Lives (Nine Lives, 1997)

Steven Tyler, Joe Perry, Marti Frederiksen

Todos temos nossas preferências quanto à abertura dos shows do Aerosmith. Alguns amam quando eles iniciam com Draw the Line (Draw the Line, 1977), outros preferem o peso de Back in the Saddle (Rocks, 1976) e temos ainda aqueles que gostam do ritmo acelerado de Let the Music Do the Talking (Done With Mirrors, 1985). No entanto, uma coisa que todos concordam é que Nine Lives serve para abrir qualquer apresentação com a energia necessária para agarrar o público pelo braço e não soltar mais até o fim das duas horas de espetáculo. Do primeiro acorde pesado, passando pelos gritos de Steven e chegando às batidas insistentes de Joey, a canção é perfeita para aberturas e, se quiserem manter a mesma dinâmica da Aero-Vederci pela Europa, podem continuar começando com Let the Music (citada acima) e mandar Nine Lives logo em seguida, como a segunda música do set. Difícil não gostar, não é?

 

04. Walk On Down (Get a Grip, 1993)

Joe Perry

Na última lista de mesmo tema, publicada em 2015, já havíamos falado sobre um dos maiores problemas do setlist atual do Aerosmith: a falta de originalidade na hora em que Perry pega o microfone para cantar. Já uma tradição em shows de rock, o momento em que os holofotes estão no guitarrista deveria ser algo que nos deixa surpresos e ansiosos, não algo que você quer dispensar a qualquer custo. No entanto, é o segundo caso que temos quando falamos de Joe Perry nas performances do Aerosmith, visto que ele tem cantado o cover Stop Messin’ Around (Fleetwood Mac) nos últimos 4 ou 5 anos – vez ou outra trocando por Combination (Rocks, 1976), outra que também já enjoou. Há dois anos sugerimos que ele voltasse a tocar Freedom Fighter (Music from Another Dimension!, 2012), mas isso parece ser um pouco ”impossível demais”. Então dessa vez vamos colocar aqui Walk On Down, uma canção que o guitarrista visivelmente adorava cantar durante a turnê de divulgação do Get a Grip. Basta deixar a preguiça e o conforto de lado e se arriscar um pouco. Isso é mais do que urgente!

 

03. Young Lust (Pump, 1989)

Steven Tyler, Joe Perry, Jim Vallance

Antes de ser substituída por Nine Lives (Nine Lives, 1997) na Aero-Vederci pela Europa, Young Lust era presença constante no setlist. Assim que os acordes finais de Let the Music Do the Talking acabavam, a outra música começava e explodia os ouvidos e corações da Blue Army. Ao todo foram 13 performances da canção neste ano. Antes disso, ela só havia aparecido em setlists em 2002, 15 anos antes! Nós do Brasil temos espaço o suficiente para a inclusão de ambas Nine Lives e Young Lust no setlist! E, conforme mostramos em nossa página do Facebook, eles mandaram MUITO bem na versão ao vivo do Download Festival. Já que ela foi tão tocada na Europa, não custa muito trazê-la para cá também, não é?

 

02. Hangman Jury (Permanent Vacation, 1987)/Seasons of Wither (Get Your Wings, 1974)

Steven Tyler, Joe Perry, Jim Vallance/Steven Tyler

Ok, estamos dando uma trapaceada básica aqui, mas é alguma mentira dizer que essa dobradinha não é a coisa mais sensacional desse mundo? Feita em um clima mais acústico e ”dark”, já vimos algo parecido no show que os Bad Boys from Boston fizeram no Morumbi em 2007. No entanto, naquela época, Hangman Jury era apenas um trecho de abertura para Seasons. Este ano, na Europa, as duas eram tocadas na íntegra, lado a lado no setlist. Uma das performances mais memoráveis foi no Download Festival, onde um mar de humanidade pôde ver e ouvir tudo isso de pertinho. Imagina isso acontecendo com 100 mil pessoas na plateia do Rock in Rio? Essa dobradinha aconteceu 8 vezes na Europa, então tá fácil tocá-las por aqui, não é mesmo?

 

01. Full Circle (Nine Lives, 1997)

Steven Tyler, Taylor Rhodes

O que mais precisamos fazer para que eles toquem Full Cirlce aqui no Brasil? Claramente uma favorita geral da Blue Army brasileira, a canção tem sido ignorada desde o final da divulgação do Nine Lives, sendo tocada apenas uma vez desde 1999 – em 2013 no Japão. Temos um grande motivo por ela continuar sendo a primeira posição dessa lista mesmo 2 anos depois da primeira: nos ajoelhamos para pedi-la. Sabemos que eles pouco lembram como tocá-la e que Steven quase nada lembra de sua letra, mas é para isso que os ensaios servem! E outra: não nos importamos que eles errem, só queremos ter o privilégio de ouvir esse clássico atemporal por aqui! Não dá mais para ignorar a vontade dos fãs que, no ano passado, pediram aos montes essa canção para os 5 membros da banda. Em um momento, chegou-se a ouvir um coro de várias pessoas em frente ao hotel em que estavam, cantando Full Circle para Tom Hamilton quando ele apareceu por ali. Qual é, vale um esforço!

É isso aí pessoal! Faltam MENOS DE DUAS SEMANAS para que o quinteto de Boston chegue ao Brasil! Em qual show você vai? Qual música você mais quer ouvir ao vivo? Confira abaixo a playlist dessa lista que criamos no nosso Spotify oficial e fique ligado aqui no Rock Your Wings para mais atualizações.

Nos vemos nos shows! \m/

Comentários

comentário(s)

Igor Lino
Jornalista, já trabalhou na revista Exame PME, da Editora Abril, e atualmente está no Google. Apaixonado por música, livros e filmes.
Recommended Posts
Entre em contato conosco

Entre em contato conosco e responderemos o mais breve possível.

Not readable? Change text. captcha txt