História

Não é à toa que o Aerosmith é chamado de “a maior banda da história da América”. São quase 200 milhões de álbuns vendidos, 46 anos de carreira, 15 álbuns de estúdio únicos e milhares de shows inesquecíveis. Nenhum grupo na música teve história tão conturbada mas, ao mesmo tempo, triunfal. Da rápida subida ao topo à queda mais veloz ainda. Da segunda chance à quase separação do século XXI. Do Aerosmith ao Music from Another Dimension!.
Confira como nasceu e cresceu esse gigante da música, vencedor de 4 Grammys, com inúmeras certificações de platina e reconhecimento mundial.

Era 1969 quando Steven Tyler, então baterista da banda Chain Reaction, conheceu o guitarrista da Jam Band, Joe Perry. Steven, de férias em Nova Hampshire, por um acaso resolveu parar para comer em uma lanchonete em que Joe trabalhava. Foram dois pulos até que ambos descobrissem que tocariam na mesma noite e no mesmo lugar, um clube da região. História vai, história vem, a Chain Reaction juntou-se à Jam Band para formar o Aerosmith. Steven chamou dois amigos, Joey Kramer e Ray Tabano, para serem o baterista e o guitarrista base, respectivamente, enquanto Joe continuou com o baixista de sua banda, Tom Hamilton.
Em 1970, todos se mudaram para Boston, passando a dividir o agora famoso apartamento 1325 na Commonwealth Avenue, em Brighton. Antes de começarem o trabalho como um grupo, Tabano foi substituído por Brad Whitford, em 1971. Depois de tocarem em alguns shows locais, em 1972, Steve Leber e David Krebs, managers da banda na época, agendaram um show para o Aerosmith no lendário clube Max’s Kansas City, em Nova Iorque. Clive Davis assistiu de perto os Bad Boys from Boston e imediatamente ofereceu-lhes um contrato com a Columbia Records.

O primeiro show da história do Aerosmith
Primeiro show televisionado da banda

Um ano mais tarde, em 1973, a banda lançava o seu primeiro álbum pela gravadora. Os críticos diziam que o Aerosmith parecia uma cópia dos Rolling Stones – especialmente pela aparência de Tyler e Perry, lembrando muito Mick Jagger e Keith Richards – e o álbum não vendeu tão bem, a não ser em sua cidade natal: Boston. A Columbia estava quase desistindo do grupo quando Jack Douglas entrou em ação, produzindo o Get Your Wings, lançado em 1974. Com shows em todos os Estados Unidos, o segundo álbum da banda foi mais longe, assim tornando-os nomes conhecidos.
No entanto, foi em 1975 que o Aerosmith explodiu no mundo inteiro. Toys in the Attic, também produzido por Jack Douglas, lançou Sweet Emotion, primeiro hit do grupo a entrar no top 40 da Billboard, e Walk This Way, que chegou à 10ª colocação. No mesmo ano, relançaram Dream On, do primeiro disco, que até então havia alcançado apenas a posição 59, e que agora chegava à 6ª colocação. Está na lista dos 500 maiores álbuns da história da música da revista Rolling Stone, bem como seu sucessor.

Ainda com Jack Douglas em estúdio, a banda viu o dinheiro entrar junto de outras companheiras: as drogas. Elas, de certa forma, ajudaram o grupo a gravar o álbum mais pesado do Aerosmith até hoje, algo que beira o heavy metal e fica no limite da perfeição do hard rock: o Rocks, de 1976. No pódium da Billboard, o disco chegou à 3ª posição e produziu hits até hoje inovadores: Last Child e Back in the Saddle, ambos top 40, além de uma favorita dos fãs, Home Tonight, que também entrou na lista. Foi certificado platina apenas dois meses após o seu lançamento.
Com 6 anos de estrada, o Aerosmith já havia se tornado o maior nome da música de toda a América. Agora eram tratados como a resposta dos EUA à invasão britânica que tomou conta do mundo nos anos 60. Lotando estádios com mais de 80 mil pessoas, criou fãs que foram influenciados ao extremo pelo quinteto de Boston. Slash, James Hetfield e Kurt Cobain não hesitavam em dizer que não estariam no mundo na música não fosse pelo Aerosmith e, mais notavelmente, pelo Rocks.

Aerosmith toca para mais de 80 mil pessoas
Steven e Joe no World Series of Rock '79

Já dizia a antiga história da Marvel: com grandes poderes surgem grandes responsabilidades. E pode-se dizer que responsabilidade era o que Steven, Joe, Tom, Brad e Joey não tinham naquela época. Imerso nas drogas, o Aerosmith lançou, em 1977, o Draw the Line, considerado pelos críticos como o declínio oficial da banda nos anos 70 e o último álbum do grupo produzido por Jack Douglas em 35 anos. O álbum foi bem sucedido, alcançando a posição de número 11 na Billboard e produzindo os hits Draw the Line e Kings and Queens. As turnês pela Europa e Japão foram pesadas, mas ajudaram a banda, que agora tinha o mesmo reconhecimento que outros gigantes da música, como Rolling Stones e Led Zeppelin.
O próximo lançamento estava agendado para 1978, mas com todo o dinheiro que tinham sendo torrado em drogas, não foi possível. Ao invés disso, a Columbia Records lançou o primeiro álbum ao vivo do Aerosmith, o Live! Bootleg, considerado pelos críticos como uma obra prima do rock. Ao contrário da maioria da bandas, dispensou ajustes e mixagem de som, sendo lançado com as gravações nuas e cruas dos vários shows que os Bad Boys realizaram no ano anterior. Nessa mesma época, o Aerosmith participou do filme Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, tocando Come Together, cover dos Beatles. Esse viria a se tornar o último single da banda a entrar no top 40 nos próximos 9 anos.
Tyler e Perry faziam pouco para esconder seus vícios em drogas e, por essa razão, começaram a ser chamadas de Toxic Twins. Os shows da banda passaram a ser atrapalhados pelo abuso de diversos entorpecentes, com Steven desmaiando no palco em mais do que algumas ocasiões. A tensão entre os membros da banda explodiu quando, em 28 de julho de 1979, nos bastidores do festival World Series of Rock, Joe Perry deixou o Aerosmith. Eles haviam acabado de encerrar o evento, no qual eram a atração principal – o World Series daquele ano também contou com Van Halen, Ted Nugent, AC/DC e Foreigner – quando a mulher de Joe jogou um copo de leite na mulher de Tom após uma discussão. Perry e Tyler brigaram por esse mesmo motivo, o que levou ao primeiro rompimento da banda.

Com Jimmy Crespo substituindo Joe, a banda voltou ao estúdio e finalizou o Night in the Ruts, lançado, finalmente, em 1979. O álbum tinha riffs e solos de Perry, mas Crespo finalizou o que ainda não estava gravado. A crítica não gostou do que ouviu e criticou os vários covers que haviam no disco. Mesmo assim, Ruts chegou à 14ª colocação na Billboard e a faixa Remember (Walking in the Sand) entrou no top 100.
Depois de um acidente de moto e cerca de um ano e meio fora dos estúdios e do palco, Steven voltou a gravar com o Aerosmith. Brad Whitford, no entanto, deixou a banda logo após a produção da música Lightning Strikes, do futuro novo álbum. Rick Dufay foi convidado a participar do grupo e, depois de alguns meses, era lançado o Rock in a Hard Place, em 1982. O disco chegou a ficar em 32º lugar na Billboard, mas logo foi esquecido, não fazendo grande impacto no cenário musical após o seu lançamento.

O Aerosmith com Jimmy Crespo e Rick Dufay

Enquanto isso, Joe Perry ia bem com a Joe Perry Project: seu primeiro álbum fora do Aerosmith, Let the Music Do the Talking, foi lançado em 1980 e vendeu bem. I’ve Got the Rock’n’Rolls Again veio em 1981 e Once a Rocker, Always a Rocker em 1983. Brad Whitford também não ficou parado e fundou, junto de Derek St. Holmes (Ted Nugent), a banda Whitford/St. Holmes, um projeto que lançou um disco bem sucedido no cenário do rock americano em 1981.
Em 1984, a Columbia Records demitiu o Aerosmith. Vendo sua banda e sua carreira caírem por terra, Steven Tyler encontrou-se com Joe Perry e Brad Whitford e, após uma longa conversa nos bastidores de um show, ambos concordaram e voltar ao grupo. A Geffen Records assinou um contrato com os Bad Boys from Boston e, em 1985, eles lançavam o Done With Mirrors. O álbum chegou à 36ª posição da Billboard, mas assim como seu antecessor, não produziu nenhum grande hit e desapareceu pouco tempo depois.

Steven continuava a desmaiar em shows e sua performance estava sobrecarregada e comprometida pelo uso de cocaína e heroína. Sob orientação do novo manager Tim Collins, todos os outros membros da banda fizeram uma “intervenção” e, sob protestos do vocalista, internaram-no em uma clínica de reabilitação. Brad, Tom, Joe e Joey seguiram o exemplo e também foram internados.
Em 1986, quando todos saíram limpos das clínicas, receberam uma proposta do então novo grupo de rap Run-DMC, que queria fazer uma parceria com a banda. Tyler e Perry encontraram-se com o grupo e, juntos, gravaram uma nova versão de Walk This Way. A música combinou elementos do hip hop e do rock, quebrando a barreira que existia entre os dois gêneros – exatamente a ideia por trás do clipe, que virou um hit na MTV. A canção alcançou a posição de número 4 na Billboard e, ao mesmo tempo que foi responsável pelo estrelato do hip hop, apresentou o Aerosmith para toda uma nova geração.

Steven, Joe e o Run-DMC

A banda então voltou a compor, dessa vez com escritores de fora, como Desmond Child e Jim Vallance. Adotando um som mais contemporâneo, em 1987 lançaram o Permanent Vacation, sucesso de crítica e vendas. Chegando à 11ª posição na Billboard, produziu 3 hits top 20 – Dude (Looks Like a Lady), Angel e Rag Doll. Os Bad Boys from Boston saíram em turnê com os estreantes Guns n’ Roses – cuja uma das maiores influências é o Aerosmith – abrindo os shows. Foi a fórmula certa para uma volta triunfante ao topo.
E então veio o gigante Pump, em 1989. Assim como Vacation, foi produzido por Bruce Fairbairn e chegou à 5ª posição da Billboard, sendo certificado 7 vezes platina. Dele vieram 3 hits top 10 – Love in an Elevator, Janie’s Got a Gun e What It Takes – e um hit top 40 – The Other Side. Foi Janie’s, que fala sobre abuso sexual infantil, que trouxe o primeiro Grammy da banda.
Nos anos seguintes, a mídia estava em cima do Aerosmith. A banda havia se tornado um sucesso na MTV, sendo a atração principal do show que comemorava os 10 anos do canal. Além disso, foram a primeira banda da história a serem retratadas em um episódio dos Simpsons. Apareceram, também, no Wayne’s World, do Saturday Night Live, no episódio que ficou conhecido como o melhor da série. Tyler e Perry realizaram aparições em álbuns de Alice Cooper e Mötley Crue e apresentaram-se ao vivo em um show do Bon Jovi. No começo dos anos 90, a MTV convida-os a participar do Unplugged em um dos primeiros episódios do programa.

A banda com o Grammy por "Livin' on the Edge"

Em 1993 era lançado o Get a Grip, o maior sucesso de vendas mundiais do Aerosmith até hoje. Com mais de 20 milhões de cópias vendidas, estreou em primeiro lugar na Billboard e produziu uma série de hits – Livin’ on the Edge, Cryin’, Crazy, Amazing e Eat the Rich. O disco rendeu mais dois Grammy’s à banda (por Livin’ on the Edge e Crazy), além de quatro MTV Video Music Awards, dois American Music Awards, um People’s Choice Award e um Billboard Award. Os clipes, estrelados por Alicia Silverstone, não paravam de tocar na TV – especialmente Crazy, que estreou Liv Tyler, filha de Steven, como atriz. O álbum ficou na lista da Billboard até o final da década, 6 anos depois.
Depois de uma extensa turnê – que viu o Aerosmith passar pelo Brasil pela primeira vez, em 1994 – eles tiraram férias e voltaram aos estúdios em 1996. Durante as novas gravações, a banda quase se separou novamente, visto que o manager Tim Collins, descontente com a pouca atenção que estava recebendo, passou a espalhar boatos de que Steven era infiel para com sua esposa e com sua abstinência das drogas. Ele foi demitido logo depois que a banda descobriu o que realmente estava acontecendo. Saíram por cima com o lançamento de Nine Lives, em 1997. Outro sucesso de vendas que estreou em primeiro lugar na Billboard e produziu os hits Falling in Love (Is So Hard on the Knees), Hole in My Soul e Pink – esta última trouxe o quarto Grammy do Aerosmith. Ainda naquele ano, a banda lançou a autobiografia da banda, que conta os então 27 anos de carreira do grupo.

Em 1998 a banda gravou I Don’t Want to Miss a Thing, clássico do filme Armageddon, que conta com Liv Tyler em um dos seus papéis principais. A música estourou no mundo inteiro, estreando em primeiro lugar na Billboard e ficando lá por 4 semanas inteiras. Foi o 17º single mais vendido de 1998 no Reino Unido, onde vendeu mais 1 milhão de cópias. Foi indicada ao Oscar como melhor música original e o clipe ganhou o prêmio de melhor vídeo de um filme no MTV Video Music Awards. Até hoje é uma das baladas mais conhecidas no mundo.
No ano seguinte a banda não parou. A Disney abriu a Rock ‘n’ Roller Coaster Starring Aerosmith, uma montanha-russa dedicada ao Aerosmith, no Walt Disney World. Além disso, eles passaram o réveillon de 1999-2000 no palco, no show conhecido como “o show do milênio”, realizado no Japão.
2001 foi um grande ano para o Aerosmith. Eles foram a atração principal do Halftime Show, do Super Bowl XXXV, evento mais assistido do mundo, e lá tocaram alguns de seus maiores sucessos, além de músicas do mais novo álbum da banda, Just Push Play, que animou a crítica pela inovação e vendeu muito bem, chegando à 2ª posição da Billboard. O disco produziu o hit top 10 Jaded. Além disso, a banda orgulha-se em dizer que foi neste ano que foram realmente reconhecidos como “a maior banda da história da América” com a introdução do Aerosmith no Rock and Roll Hall of Fame. Este museu reconhece os maiores nomes da história do rock e é conhecido como ápice da carreira de qualquer artista. Lá também estão nomes como Led Zeppelin, Rolling Stones, Beatles e AC/DC.
Em 2002, a MTV reconheceu-os como uma das maiores lendas da história da música quando eles foram escolhidos como o “MTV Icon” daquele ano. O extinto show homenageava ícones da cultura musical. Outros nomes que já foram homenageados são: Janet Jackson, Metallica e The Cure.
Dois anos depois, em 2004, o Aerosmith lança o Honkin’ on Bobo, álbum de covers de músicas clássicas do blues. Aclamado pela crítica, chegou à 5ª posição da Billboard e foi certificado como ouro menos de um mês após o lançamento. Baby Please Don’t Go, o único single, chegou ao 7º lugar nas paradas.

O Aerosmith com o troféu de introdução ao Rock and Roll Hall of Fame
A banda durante a turnê que promoveu o "Honkin' on Bobo"
A banda retratada no Guitar Hero

Os 8 anos seguintes foram cheios de turbulência para o Aerosmith. A banda se apresentou em diversas turnês – voltaram ao Brasil em 2007, após 14 anos – e fizeram aparições em todos os tipos de mídia: participação especial em filmes como Be Cool (2005) e tema principal do primeiro Guitar Hero a focar em apenas uma banda, no Guitar Hero: Aerosmith (2008). Joe Perry gravou dois novos álbuns solos – Joe Perry, de 2005, e Have Guitar, Will Travel, de 2009 – dos quais uma música – Mercy – foi indicada ao Grammy. Ele também fundou sua companhia de molhos picantes, a Joe Perry’s Rock Your World Hot Sauces. Joey Kramer também fundou uma empresa, a Rockin’ & Roastin’, produtora de café, e lançou sua autobiografia em 2009.
Apesar de todo esse trabalho, foi nesse período em que os membros da banda começaram a sentir a idade pesar. Em 2006, Steven teve de realizar uma cirurgia na garganta para reparar um vaso sanguíneo danificado, o que tirou-o dos palcos por vários meses. Também em 2006, Tom Hamilton foi diagnosticado com um câncer na garganta, realizando uma cirurgia que retirou o tumor do baixista – tendo ele completado o tratamento apenas em 2013. Brad Whitford realizou cirurgia na cabeça para reparar uma lesão que ele sofreu ao batê-la saindo de seu carro.

O ponto de combustão, no entanto, foi quando Steven caiu do palco em um show no dia 5 de agosto de 2009. Com problemas técnicos no som, Tyler resolveu entreter a plateia dançando na ponta da passarela do palco, pisando em falso e caindo direto no chão. Ele cortou a cabeça, quebrou o ombro e teve lesões no pescoço. Segundo o próprio vocalista, ele estava drogado e não sabia o que estava fazendo. Pouco tempo depois ele se internou em uma clínica de reabilitação para tratar o seu vício em analgésicos, os quais ele amassava e cheirava para esquecer as dores nos pés – deformados depois de tantos anos se apresentando nos palcos. Os outros membros do Aerosmith perderam contato com ele e anunciaram que estavam em busca de um novo frontman. No mesmo dia do anúncio, Steven apareceu em um show da Joe Perry Project, de surpresa, e disse para a plateia que não ia deixar o grupo.
Em 2010, Tyler aceitou ser jurado do programa de calouros American Idol sem avisar os outros membros do Aerosmith, o que deixou a banda ainda mais enfurecida. Mesmo assim, embarcaram em uma turnê carrancuda naquele mesmo ano. Em 2011, com as brigas e desentendimentos de lado, voltaram a entrar no estúdio, dessa vez para gravar o primeiro álbum de inéditas em 11 anos. Tyler aproveitou para lançar a sua própria autobiografia.
As tensões entre Steven e Joe desapareceram de vez quando, no episódio de 22 de março de 2012 do American Idol, Perry apareceu de surpresa no programa e tocou “Parabéns pra Você” em comemoração ao aniversário de 64 anos de Tyler. Naquele mesmo ano, a banda foi o tema do programa 60 Minutes, que contou toda a história do grupo, passando por bastidores da turnê do ano anterior e com entrevistas de todos os membros falando das recentes turbulências.
Em novembro de 2012 foi lançado o Music from Another Dimension!, até agora o último álbum de estúdio da banda. Ele estreou na 5ª posição da Billboard, mas diferentemente dos dois lançamentos anteriores não gerou impacto no cenário musical e foi esquecido rapidamente. O primeiro single, Legendary Child, foi apresentado pela primeira vez na final do American Idol, mostrando que, apesar de tudo, o programa fez bem à banda.

O grupo após apresentar-se no American Idol

Nos últimos quatro anos a banda voltou a excursionar pelo mundo, passando, novamente, pela América do Sul, Europa e Japão. Os membros voltaram a dar mais atenção a projetos paralelos e solos – Steven com seu primeiro álbum solo country, Joe com os Hollywood Vampires e sua autobiografia, Joey com sua marca de café, Brad com Whitford/St. Holmes e Tom com sua marca de bonecos eróticos – mas a banda continua na ativa após longos 46 anos na estrada. Há uma turnê despedida que parece estar chegando, nos anos de 2017 e 2018, mas o que o Aerosmith nos trará em seguida? Só o tempo pode dizer.

– Igor Lino

Entre em contato conosco

Entre em contato conosco e responderemos o mais breve possível.

Not readable? Change text. captcha txt